Friday, April 19, 2013

MM. Ex. Sr. Dr. Wilson

Esses dias, eu estava lá no fim do mundo exercendo meu nobre munus, que consiste em arruinar a vida das pessoas, quando recebo uma ligação de Wilson, antigo personagem deste blog.

Wilson, que mora no interior do estado, onde as casas são em estilo enxaimel e as vaginas são mais áridas que o deserto do Sahara, desejava um favor. Wilson narrou via telefone seu drama particular. Ele havia feito um concurso para Desembargador e desejava recorrer de umas questões para garantir sua sonhada tetinha vitalícia junto ao polposo erário. Bem da verdade, Wilson tinha obtido nota suficiente para ser aprovado e o que ele queria mesmo, era disseminar o caos tumultuando o certame. De qualquer sorte, era necessário que eu me dirigisse até o Olimpo do Judiciário, onde residem os Deuses e seus aduladores, e obtivesse cópia da prova por ele realizada.

Parecia fácil.

O Monte Olimpo é um lugar mágico, formado por duas grande montanhas de aço, concreto e vidro. Em seu topo, os Deuses, seres iluminados, residem e emitem seus julgamentos. O lugar também é lar de criaturas desprezíveis, um subtipo dos "baixarias de direito", que parasitam os Deuses, e se acham imbuídas de todo o conhecimento jurídico do mundo. Mais que possuir tirocínio jurídico, para ser aceito entre os parasitas, é necessários usar camisas polo da Tommy Hilfiger e dirigir carros tunados pagos pelo papai.

Enfim, já no lobby do Olimpo, vários parasitas desfilavam pomposos, desejosos de um dia ascender ao topo. Subi sofregamente os 11 andares. Nem bem sai do elevador, vi que uma fila se estendia por vários metros, inciando-se em frente a uma porta intitulada "Comissão de Concurso".

Como estava próxima do topo, regozijei ante a possibilidade de que não haveria vermes por perto. Ledo engano. Aquela fila era composta exclusivamente por outro subtipo de "baixarias de direito", os vermes que são tão assoberbados de si mesmos que sonham em virar "autoridade", a fim de que possam tratar os outros como lixo, vulgo "concurseiros". Pensei em me jogar da janela.



Naquele momento, cercado de vermes, cheguei até, em pensamento, a maldizer pobre Wilson. Mas não, Wilson é boa gente e precisava da minha ajuda, e se tem alguém que merece ficar milionário mamando nas suculentas tetas do governo, era Wilson. Por hora, resolvi não me jogar.

Prosseguindo. Como é costumeiro quando se reúnem mais do que dois vermes no mesmo ambiente, inicia-se uma competição velada para ver quem é o melhor. Normalmente ambos são uns merdas. Mas enfim, as discussões de cunho jurídico-filosófico que não levam a lugar nenhum já haviam iniciado. No caso em comento, discutia-se o fim do prazo para recorrer. Uns sustentavam que seria no dia seguinte, sexta-feira, outros, na segunda-feira. Nisso, um japinha que era o próximo da fila entrou na Comissão, enquanto a discussão acalorada continuava do lado de fora. Passados alguns minutos, o retromencionado Japinha saiu da sala e informou, na sua ingenuidade, que ele teria indagado à comissão, e que a informação oficial seria de que o prazo era até segunda.

Pobre Japinha, não sabe ele que os vermes detêm todo o conhecimento jurídico do mundo?! Em sua soberba ignorância, um verme baixaria em direito está sempre certo! Obviamente, um dos vermes, vociferou em resposta: "mas o edital do concurso prevê apenas dois dias de prazo, que acabam amanhã. O edital é a lei do concurso. E se a comissão estiver errada? Serei eu punido pela burrice deles?!".

Findo seu discursinho, o sujeito lambeu os lábios com sua língua peçonhenta e arregalou os dentes num sorriso macabro, certo de que era o melhor ser humano naquele corredor.

Tive que me conter para não pular ali do 11o andar. Ser esmagado contra o concreto não podia ser pior que ter que ouvir esse tipo de coisa. Mas não, só eu poderia ajudar Wilson. Eu tinha que conseguir. Wilson merece ficar milionário, e, por tabela, arranjar um cargo de parasita pra mim.

Após cerca de uma hora e meia naquela fila, durante os quais várias vezes questionei o sentido da vida, finalmente consegui o documento que iria catapultar Wilson para a classe A+.

Mandei para Wilson o negócio e voltei pra casa.

Ainda meio tenso e entristecido pela miséria humana, acessei o Red Tube para dar uma relaxada, e, enquanto eu assistia uma esmilinguida garota ser sodomizada por 10 caras, tive um insight, e vi no rosto daquela pobre menina, o rosto de todos os vermes que eu havia visto no Olimpo. Pobres diabos, eles são mais dignos de pena que de desprezo, seus pequeninos sonhos de ter o carro mais tunado da rua, ou a mulher mais siliconada do prédio. Não sabem que isso é tudo uma ilusão? Naquele momento, ainda com as calças arriadas, esqueci de meu ódio e desejei apenas poder abracá-los todos e mostrar a eles o verdadeiro sentido da vida.

4 comments:

  1. Sensacional seu blog e seus causos! Sou mais um assíduo leitor "fantasma", rsrs... parabéns! Não duvido que seu blog logo vire sucesso entre os parasitas baixarias de direito membros da Green Belly Supreme Court of Justice! Sucesso!

    ReplyDelete
  2. E como sou um verme baixaria de direito que parasita uma sala oval da Green Belly Supreme Court of Justice, aqui vão algumas correções, pois, como você disse, sou uma pessoa desprezível que adora impor sua tese jurídica a outros parasitas:
    1) regogizei = é regozijei
    2) ainda com as calças ainda arriada = suprimir um "ainda"
    (não precisa publicar o post, só se fizer questão)

    ReplyDelete
  3. Clovis Basilio dos SantosApril 23, 2013 at 2:39 PM

    "Sou o primeiro lugar no meu concurso".

    ReplyDelete
  4. Muito bom, monk.
    Tens que ser mais assíduo nas postagens.
    Me manda por e-mail quem é o Wilson, que fiquei curioso.
    Sauron, de Mordor.

    ReplyDelete